03/10/2017

Congelamento decorre do rombo do Banestado - e quem paga é o servidor

O líder do PT, Professor Lemos, condenou novamente o projeto 556, do governo estadual, que foi aprovado em primeira discussão na sessão desta terça-feira. O projeto congela os investimentos públicos por dois anos.

Lemos explicou que o governo Beto Richa quer adotar essa medida para poder renegociar sua dívida com a União. “Mas essa dívida”, disse, “é resultante do saque cometido contra Banestado. Hoje, os saqueadores estão livres e milionários, e quem paga a conta são os servidores e a população”.

O deputado lembrou que o caso Banestado foi tema de CPI na Assembleia Legislativa, e as irregularidades foram comprovadas. “Hoje, o Paraná não tem mais banco público. O mais estarrecedor é quem vendeu continuou devendo. Eram R$ 500 milhões, que viraram R$ 5,2 bilhões. O Paraná já pagou mais de R$ 13 bilhões e ainda deve R$ 9 bilhões. Esta é a razão do endividamento do nosso estado com a União”.

Lemos ainda disse que “não foram os servidores nem a população do Paraná que fizeram essa dívida. Não é justo que paguem por ela. É preciso que se faça justiça. Que se punam os responsáveis e que se traga o dinheiro de volta, dinheiro que deve estar nos paraísos fiscais”. 

O líder petista voltou a afirmar que não só os servidores, mas toda a população, serão brutalmente atingidos pelo congelamento, que provocará uma enorme queda na qualidade dos serviços públicos essenciais- saúde, educação, segurança.

 

Autor: Roberto Elias Salomão - Liderança do PT


Portal Liderança do Partido dos Trabalhadores da Assembleia Legislativa do Paraná
Praça Nossa Senhora Salete s/n, Curitiba - PR - CEP: 80530-911
Telefone: (41) 3350-4157 / 3350-4396