26/09/2017

Lemos apoia a greve dos funcionários dos Correios

A greve nacional dos funcionários dos Correios entrou nesta terça-feira no seu sétimo dia. Os trabalhadores têm reivindicações salariais e de carreira, mas, sobretudo, estão combatendo o sucateamento do serviço e a privatização de agências. 

“São 6.500 funcionários dos Correios no Paraná”, disse Lemos. “A população precisa desse serviço, que não pode ser privatizado”.

Alerta

Lemos disse que começou a tramitar na Assembleia o projeto de lei 556, do governo estadual, que, em troca de poder renegociar a dívida do estado com a União, congela os gastos públicos (inclusive salários dos servidores) por dois anos.

“Não podemos mais sacrificar a população e os servidores”, alertou o líder petista.

Nota: PT-PR apoia greve dos Correios

Funcionários e funcionárias dos Correios de todo o país decidiram pela deflagração da greve desde as 22h de terça-feira (19). São 108 mil funcionários, sendo 6,5 mil somente no Paraná.

O Partido dos Trabalhadores do Paraná (PT-PR), em defesa dos funcionários e funcionárias dos Correios, apoia a iniciativa e se solidariza para que seus direitos sejam assegurados. É inaceitável qualquer retrocesso nos acordos já conquistados.

Os funcionários dos Correios querem 8% de reposição da inflação cuja data-base deveria ter sido efetivada no dia 1º de agosto. Também exigem a manutenção dos benefícios conquistados no último acordo coletivo e a garantia do direito a férias.

http://pt-pr.org.br/files/1055/sintcom.jpg

Os trabalhadores são contra o fechamento dos bancos postais, que por determinação da direção da ECT, deixaram de funcionar, atingindo 412 agências no Paraná. Isso faz com que milhares de pessoas, especialmente em cidades pequenas, percam o direito constitucional da universalização de entregas de mercadorias e correspondências. Além disso, muitos desses postos também realizam serviços bancários, o que prejudica ainda mais a população de pequenas cidades.

A ideia deste governo ilegítimo de Michel Temer é sucatear os Correios para privatizar e entregar o patrimônio dos brasileiros para a exploração da iniciativa privada. Isso é um grande problema, pois os correios estão em todo o território brasileiro, mas não é de interesse das empresas privadas chegar aos territórios menores. Por isso, a privatização vai gerar desemprego, retirada de direitos e queda na qualidade do serviço.

Após mais de 40 dias de atraso para dar início às negociações, começaram as tratativas entre trabalhadores e diretoria dos Correios para a Campanha Salarial 2017/18. No entanto, todas as propostas da empresa, até o momento, são de retirada de direitos dos trabalhadores.

Nesta segunda-feira (25), em Curitiba, o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná (SINTCOM-PR) convocou todas e todos os trabalhadores dos Correios para uma grande passeata. A concentração foi na sede dos Correios, na Rua João Negrão, se dirigindo até a praça Santos Andrade. A mobilização continua!

Autor: Assessoria de Comunicação | Fotos: Divulgação Sintcom/PR


Portal Liderança do Partido dos Trabalhadores da Assembleia Legislativa do Paraná
Praça Nossa Senhora Salete s/n, Curitiba - PR - CEP: 80530-911
Telefone: (41) 3350-4157 / 3350-4396